O governador do Acre, Tião Viana (PT), indicou nesta terça-feira a promotora de Justiça Waldirene Cordeiro para assumir a função de desembargadora do Tribunal de Justiça do Acre.

A nova desembargadora é casada com o secretário estadual de Fazenda, Mâncio Cordeiro, que ocupa o cargo desde que o PT assumiu o governo estadual há 14 anos.

A indicação é uma recompensa pelo que a promotora fez à frente da Defesa do Patrimônio Público no Ministério Público Estadual. Ela coordenava no Acre a campanha “O que você tem a ver com a corrupção?”.

Em setembro, o Pleno Administrativo do Tribunal de Justiça do Acre elegeu a lista tríplice que foi enviada ao governador para nomeação do desembargador da vaga pertencente ao Ministério Público.

Para a vaga, que chegou a ser disputada por três procuradores e três promotores de justiça, foram eleitos os procuradores Ubirajara Braga de Albuquerque ( 1º) e Oswaldo D'Albuquerque Lima Neto (2º) e a promotora Waldirene Cordeiro (3º).

Apesar do mérito dos dois procuradores e do fato de que a lista tem uma ordem e tradicionalmente se indica o primeiro da lista, a inclusão do nome dela foi um sinal de que a escolha do governador seria pela mulher do secretário de Fazenda.

Além disso, uma filha do senador Jorge Viana (PT-AC), irmão do governador, é casada com um filho do secretário Mâncio Cordeiro.

A decisão do governador causou desconforto entre os magistrados e está sendo muito criticada em redes sociais no Acre. Embora fosse uma decisão previsível, muitos esperavam mais bom senso do chefe do Executivo.