Por Luciano Borges

Uma reunião na noite desta quinta-feira pode decidir mudanças no Departamento de Futebol do palmeiras. Os dirigentes responsáveis do setor vão apresentar ao presidente Luiz Gonzaga Belluzzo, idéias para diminuir os gastos. “Eles tiveram uma reunião longa para ver o que podem fazer. Não sei ainda o que eles vão propor”, disse Belluzzo ao Blog do Boleiro.

O economista e presidente palmeirense está decidido a conter o déficit mensal do clube, que anda em torno de R$ 2 milhões. A ordem para cortar gastos foi dada a todos os departamentos. O futebol segue uma a lógica da competição: “O que fizermos não poderá prejudicar o desempenho do time no Campeonato Brasileiro”, afirmou.

Belluzzo acha que a equipe dirigida por Vanderlei Luxemburgo tem condição de disputar o título de campeã. O técnico ainda não corre risco de perder o cargo. Não existe, segundo o dirigente, nenhuma ação deliberada para “fritar” Luxa.

A seguir, a conversa com o presidente do Palmeiras:

Blog do Boleiro – O corte de verbas no Futebol é uma forma de pressionar a comissão técnica e o treinador?
Luiz Gonzaga Belluzzo
– Eu vou fazer uma reestruturação da dívida do clube. Quero aumentar o prazo, mas não vai adiantar nada se continuar este déficit todo mês.

Quanto o Palmeiras deve?
A dívida é de R$ 40 milhões. Ela não é grande comparada com outros clubes. Mas não posso deixar que ela avançe. O déficit mensal tem sido de R$ 2 milhões. Não posso terminar o ano com mais 13, 14 milhões a mais de déficit. Não tem, cabimento.

Por que o futebol tem que cortar gastos?
Não é só o futebol. Eu passei a determinação de reduzir as despesas do clube inteiro. Estou fazendo uma reunião esta noite para discutir a proposta do pessoal do futebol.

Esse corte vai atingir a comissão técnica?
Não sei o que o pessoal do Cipullo (Gilberto Cipullo, vice-presidente de futebol) vai propor. Eles tiveram uma reunião longa na noite de ontem. Discutiram onde podem cortar despesas. Eles vão me mostrar a proposta. Se eu achar que está bom, está. Se não achar que está bom, eu mesmo aponto onde cortar.

A comissão técnica custa caro?
As pessoas não sabem quanto a comissão técnico custa. Mas eu posso falar que o gasto é muito parecido com o do São Paulo e do Corinthians. Fazer futebol direito custa caro. O critério para a gente cortar despesas não é bem esse. Quanto vamos cortar é o que interessa. Mas a decisão não pode prejudicar o desempenho da atividade em si. Ou seja, o time tem que continuar competitivo.

E ele é competitivo hoje?
É e vai disputar as primeiras posições do Campeonato Brasileiro. Eu não sei dizer se vai ser campeão, mas vai disputar o título. Nós trouxemos um lateral (o chileno Figueroa, do Colo Colo) e estamos olhando algum outro reforço.

Então, se a proposta do Futebol não for satisfatória, o senhor vai cortar as despesas?
Vou. Não adianta chorar. Não sou candidato à reeleição. Por isso, estou pouco somando. Quero deixar tudo em ordem, direitinho. Estou preparando um relatório para mostrar que o clube sofreu um sucateamento.

Quem causou este sucateamento?
O (Afonso) Della Monica fez um esforço grande para resolver o que já estava sucaetado. O clube tem problemas no setor de eletricidade, no cabeamento, o ginásio terá que passar por uma concretagem porque sofreu com os cupins. Estou preocupadíssimo. Este relatório – grande – é para demonstrar que não estou inventando, nem é ataque pessoal. Tenho que cortar despesas e consertar estas coisas ao mesmo tempo.

O torcedor quer saber do futebol. Depois do empate com o Nacional, em Montevidéu, o senhor conversou com integrantes da torcida uniformizada e disse que o técnico Luxemburgo iria ficar.
Não foi isso o que eu disse. O que aconteceu foi que alguns torcedores chegaram e disseram: ‘Você tem que tirar o Luxemburgo’. No meu dicionáriio não tem esta expressão. Não vou demitir o Luxemburgo porque um torcedor está dizendo que eu tenho que fazer isso.

A torcida pede a demissão?
Na verdade, é mais um grupo que fica falando isso. Outro dia, um site de palmeirenses (Palmeiras Todo Dia) fez uma enquete sobre este assunto. A maioria, cerca de 70% dos torcedores que votaram, pediram a permanência dele. Também não vou me guiar por isso. Mas dá para perceber que a maioria está a favor do Luxemburgo. Mas a minoria é quem fala, faz barulho.