inclusão de arquivo javascript

Jogar com Ronaldinho Gaúcho deixou Bernard mais confiante e ousado em campo | Blog do Boleiro
Jogar com Ronaldinho Gaúcho deixou Bernard mais confiante e ousado em campo | Blog do Boleiro

Blog do Boleiro

Jogar com Ronaldinho Gaúcho deixou Bernard mais confiante e ousado em campo

0 Comentário

Bernard, 20 anos, garante: jogar ao lado de Ronaldinho Gaúcho faz bem. O jovem atacante do Atlético Mineiro, autor de 11 gols e 12 assistências na temporada de 2012, disse ao Blog do Boleiro que amadureceu e ganhou confiança para ser ousado porque o meia gaúcho incentiva a criatividade o tempo todo. "Ele sempre fala que é para tentar algo novo, na direção do gol", disse Bernard que formou trio ofensivo com Jô e o novo mentor.

Eleito como a revelação do Campeonato Brasileiro deste ano, Bernard iniciou as férias de dezembro dividindo aparições na mídia, descando num praia do litoral paulista e jogos beneficentes. Enquanto dava entrevista ao Blog do Boleiro, ele recebeu dois convites. Um deles era para jogar uma partida em favor do Graac (entidade que cuida de crainaças com câncer). De graça. Ele aceitou. Depois, uma operadora de telefonia o chamou para outro jogo que lhe renderia um cachê e um aparelho celular de última geração. Ficou interessado e prometeu responder depois.

Bernard chegou à seleção. Depois de ter sido pré-convocado por Mano Menezes para disputar os Jogos Olímpicos de Londres, ele ficou de fora da lista de inscritos. No final do ano, voltou a ser lembrado pelo ex-treinador do aelecionado brasileiro e viu de perto o ambiente e o clima de enfrentar a Argentina no Superclássico das Américas. Para o ano que vem: "Quero ajudar o Atlético Mineiro a ser campeão da Libertadores e também quero voltar á seleção brasileira", disse.

Blog do Boleiro – Qual o gol mais bonito que você fez neste ano?
Bernard
- Na verdade, o gol mais bonito foi uma assistência. Foi no jogo contra o Grêmio. Foi uma jogada em que eu dei dois lençóis nos zagueiros, acabei tocando para o Jô e ele concluiu da melhor maneira, que foi de voleio. Então, este lance ficou maracado e deu uma visibilidade maior para o Bernard no futebol brasileiro.  A partir desta jogada eu pude mostrar meu futebol para todos.

Esta foi a assistência. E o gol?
Foi o gol contra o Sport, em Recife, de cobertura. Bati de fora da área e encobri o goleiro. A gente estava perdendo o jogo por um a zero e viramos, vencendo por 4 a 1. Acho que foi um gol bonito que vai ficar marcado nesta temporada de 2012.

Jogar ao lado de Ronaldinho Gaúcho fez bem para você?
Ah, fez. Ele é um cara que chegou e passou muita confiança e rendimento de amadurecimento. É um cara que…cada letra que ele fala, eu tento ouvir e levar para mim. Porque ele é um cara que foi duas vezes o melhor do mundo, foi campeão do mundo. Então tudo o que ele fala para mim eu tento colocar dentro de campo. Ele é um cara que me ajudou e está ajudando bastante.

O Ronaldinho incentiva você a tentar jogadas individuais?
Ele sempre me diz para ir para cima, tentar algo ousado, ser criativo. Teve jogo em que eu tentava o drible na lateral e a bola ia para escanteio. Ele passava por mim e dizia 'é isso aí, continue tentando, vai pra cima'. Então ele incentiva a arriscar jogadas de efeito, sempre no sentido do gol adversário.

Muitos jogadores mostram habilidade e lances de efeito nos treinos, mas não colocam na prática porque temem errar e levar bronca. Você perdeu este medo?
Eu acho assim. Para você arriscar jogadas, fazer dribles, é preciso ter moral com a galera. Aí dá. Quem está mais no começou, não vai correr o risco.

E você?
Ah, já estou pegando moral. Já dá para arriscar mais.

Como foi o ano de 2012 para você?
Foi o melhor ano de todos os que eu vivi no futebol, por todas as coisas que eu conquistei, por todas as coisas que o Atlético Mineiro conquistou. Depois de tanto tempo sem chegar na Copa Libertadores e aí chegamos como foi este ano, com um grande futebol. Estou muito feliz de fazer parte desta história.

E a passagem pela seleção nos confrontos contra a Argentina?
Chegar ao patamar de seleção brasileira é o sonho de qualquer jogador e para mim não é diferente. Eu absorvi tudo o que eu poderia absorver dentro da seleção. Isso dentro de campo e fora também.

Fora?
A partir de um momento que um jogador vai para a seleção brasileira, ele sente a diferença do clima, da responsabilidade. É importante manter uma boa imagem, mesmo que você não esteja num bom dia. Tem muita gente de olho e eu aprendi e absorvi o que pude desta experiência.

O que você diria para o Luiz Felipe Scolari (técnico da seleção brasileira) para que ele o convoque outra vez?
Eu acho que ele já está vendo um pouquinho do que eu tenho, a velocidade, a própria marcação. Ela é importante hoje em dia. Taticamente, o jogador tem que obedecer a aquilo que o técnico pede. O jogador de hoje que não marca, está fora do mercado. Acho que o jogador tem que obedecer tudo o que os técnicos pedem no futebol.

Luciano Borges Luciano Borges

Luciano Borges

Luciano Borges, 55 anos, é jornalista desde 1978. É correspondente-sênior da SBS Radio (Austrália).



compartilhe e assine o blog





Sorry, your browser does not handle frames!<a href="http://www.terra.com.br/"> terra </a>

 
 
Leia também X PL do Fairplay Financeiro: a bola está com presidente Dilma