Blog do Sírio

MORTO?

Fernando Reinach escreve colunas de divulgação científica no Estadão, às sextas-feiras. Eu o vi pela primeira vez em um programa Roda Viva (que está uma droga, com Augusto Nunes dando as cartas) e o conheci melhor lendo seu livro, A longa marcha dos grilos canibais (São Paulo: Companhia das Letras), uma coletânea de suas colunas. …


COMO SE FAZEM GRAMÁTICAS

Os gramáticos ditos tradicionais não tratam explicitamente de questões metodológicas, a não ser em dois casos: explicitamente na definição do corpus (os escritores ocupam um lugar privilegiado), e implicitamente em algumas questões “teóricas”, como a adoção de categorias (nome, verbo etc.), frequentemente passadas de uma gramática a outra, e até de uma língua  outra, sem …


UMA DECISÃO

  Há 15 anos, ou mais, decidi que tentaria escrever sobre linguística em jornais ou onde conseguisse, fora da academia (a internet quebrou meu galho, depois de algum tempo). Pensava, como penso, que a língua é um objeto crucial tanto para o simples conhecimento (muitos acham que a curiosidade é uma característica humana, tese em …


A ORDEM

Como qualquer campo de estudo, a linguística não é para principiantes. Quero dizer que não se pode chegar na área e ir chutando. Há muitas coisas já testadas, muitas análises feitas, muitos procedimentos construídos de eficácia comprovada. A consideração do que se sabe que dá certo faz parte dos conhecimentos do campo. Como acontece em …


SINTAXE ESTRANHA?

Em sua coluna de 13/3/2014 na Folha de S. Paulo, o Prof. Pasquale criticou duramente uma construção cada vez mais frequente.  Os exemplos são do tipo “O técnico da TAP estava previsto para chegar a Cabo Verde…” e “A ponte está prevista para ser inaugurada…”.  Segundo ele, não faz o menor sentido ligar “ponte” ou …


 

Terra Magazine por Bob Fernandes