Blog do Sírio

AINDA O NOME DAS COISAS

  De vez em quando, um jornal publica uma coluna que poderia ser avaliada como verdadeiro retrato falado de um segmento da sociedade. O caderno Cotidiano (Folha de S. Paulo) de 20/08/2014 traz (como virou moda dizer) um texto de Francisco Daut intitulado O quarto poder. Resumidamente, lamenta que a política interna do jornal em …


OS NOMES DAS COISAS

O tema é vasto. Eu poderia começar de várias maneiras. Por exemplo, citando o texto do Prof. Pasquale de hoje (14/08) na Folha, que critica os espíritos literalistas, que, por exemplo, acham que não se deve dizer “bater o pênalti”, mas sim “bater o tiro livre direto”. Este exemplo bastaria, mas é razoável citar outros. …


COMO SOMOS… (II)

  Às vezes, o sentido da pergunta pode se claro, mas sua formulação é problemática. Por exemplo (espero que ninguém se chateie), não faz sentido dizer que uma língua usa ou não usa acento. Na verdade, quem usa ou não são as pessoas que escrevem, por imposição de um contrato. É mais razoável dizer que …


COMO SOMOS IGNORANTES!

  Tenho dificuldade em entender pessoas que (me) dizem que não conseguem compreender aulas de gramática. Confesso que, no interior de Santa Catarina, no então segundo ano primário, com 8 anos, embora tivesse um conjunto de dificuldades específicas, sobretudo para escrever certas palavras, pelo fato, entre outros, de estar aprendendo a falar português (minha língua …


LEITURA LABIAL

Há algum tempo, republiquei aqui um texto antigo, que chamei de “Biquinho”. Seu objetivo era mostrar que afirmações do tipo “franceses falam fazendo biquinho”, com eventuais inferências sobre outros hábitos, não fazem o menor sentido, porque todos os falantes de todas as línguas povos fazem biquinho, porque em todas há vogais arredondadas. Eu sugeria a …


 

Terra Magazine por Bob Fernandes