POR MARINA DIAS
 
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), recebeu nesta segunda-feira (21) o prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, para discutir medidas que considera "inovadoras" e "inspiradoras" na atual gestão da capital colombiana. Entre elas está a redução da tarifa de ônibus, promovida por Petro no ano passado. A passagem, que custava aproximadamente R$ 2,00, passou para R$ 1,60, uma economia de 20% por passageiro.
 
A queda do preço, implementada a partir de subsídios concedidos pela prefeitura da capital colombiana, permitiu que maior parcela da população utilizasse o transporte público da cidade.
 
No entanto, a discussão vai contra a tendência em São Paulo. A tarifa de ônibus, qua atualmente está em R$ 3,00, deve subir ainda no primeiro semestre de 2013, em meados de junho. A pedido do ministro da Fazenda, Guido Mantega, com o objetivo de diminuir a pressão do aumento sobre a inflação, o preço da passagem não será ajustado neste início de ano.
 
Durante a reunião de cerca de uma hora, a portas fechadas, na sede da prefeitura paulistana, Haddad e Petro conversaram sobre transporte, mobilidade urbana e estatização dos serviços públicos, outro tema pelo qual o petista mostrou bastante interesse. Em Bogotá, por exemplo, cada família tem direito a seis metros cúbicos de água/mês disponibilizados pelo governo, o que equivale a seis mil litros. O prefeito colombiano também apresentou seu projeto de dividir com o setor privado a responsabilidade de tratar o lixo da cidade.
 
Reunião de prefeitos
 
Petro e Haddad marcaram para junho, em Bogotá, uma reunião com diversos prefeitos da América Latina, que deverá incluir Eduardo Paes (PMDB), do Rio de Janeiro. "O triunfo de Haddad foi muito interessante, porque São Paulo resistia às experiências de esquerda", afirmou Petro.
 
"A ideia de reunir prefeitos de importantes cidades do continente já foi implementada parcialmente em outras oportunidades, mas agora faremos um esforço mais organizado e institucional para discutirmos problemas mundiais", completou o prefeito de Bogotá.
 
Petro, que disputou a última eleição presidencial na Colômbia e ficou em quarto lugar, com 9,13% dos votos, está em São Paulo a convite do Instituto Lula, que organizou uma reunião, durante a segunda-feira (21), em um hotel na zona sul da capital paulista, para discutir a integração da América Latina, com intelectuais e políticos de oito países da região. 
 
A abertura do encontro foi feita pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que afirmou ser um "desafio extraordinário" aprender a ser ex-presidente.