o golem, mario teixeira

Na quarta-feira passada, dia 26 de novembro, tive a chance de visitar a Edições SM aqui em São Paulo. A editora fica no mezanino de um prédio modernoso, na seção comercial da Vila Olímpia.

Eu já conhecia as vizinhanças, do tempo em que costumava visitar Rubens Teixeira Scavone em Santo Amaro, mas desta vez inventei de seguir as placas indicativas e cheguei quarenta minutos atrasado para o compromisso com Fabio Weintraub, a quem eu conhecia do meu trabalho para a Editora Ática, organizando a antologia Histórias de Ficção Científica (2005) para a coleção Para Gostar de Ler. Fabio havia sido um editor de infanto-juvenis na Ática, antes de assumir posição semelhante nas Edições SM, que são um grupo editorial espanhol, recentemente estabelecido também no Brasil.

A história por trás da publicação de Histórias de Ficção Científica é curiosa e vale a pena contar. Ainda na década de 1990 a Ática publicou, na mesma Para Gostar de Ler, uma antologia de contos de mistério, entre eles um de Jerônymo Monteiro, o pioneiro da ficção científica e da ficção de detetives, no Brasil. Então eu procurei a editora propondo uma antologia semelhante, de contos de FC. O contato foi estabelecido e os trabalhos iniciados, mas achei que a editora fazia exigências demais, e abandonei o projeto. Quase uma década depois, a Ática me procurou através de Fabio Weintraub, e desta vez eu estava mais maduro e mais disposto a trabalhar dentro das necessidades da editora. A antologia é muito bem ilustrada por Sam Hart e traz histórias nacionais e estrangeiras, de autores como Miguel de Unamuno, Edgar Alan Poe, H. G. Wells, Arthur C. Clarke, Isaac Asimov, André Carneiro, Rubens Teixeira Scavone, Bruce Sterling e Jorge Luiz Calife.

Nas Edições SM Fabio me passou vários livros – entre eles o seu último livro de poemas, Baque, lançado em 2007 com a ajuda do Programa de Ação Cultural. Ele já havia vencido o Projeto Nascente 1994 com Sistema de Erros (1996), e seu livro anterior, Novo Endereço (2002), recebeu os prêmios Cidade de Juiz de Fora e Casa de las Americas. Weintraub é um dos destaques da poesia urbana contemporânea brasileira, e já foi entrevistado no programa Entre Linhas, da TV Cultura.

As Edições SM têm publicado muita coisa de interesse para o fã de FC e fantasia, se ele não tem preconceito contra a leitura de obras dirigidas ao público infanto-juvenil. Fabio Weintraub me deu um exemplar de um livro que eu já conhecia de ver nas livrarias, A Bruxa de Abril e Outros Contos (2004), uma compilação (de organizador anônimo) de contos de Ray Bradbury, incluindo os famosos “A Sirena de Nevoeiro” e “A Savana”. A tradução é de Marcelo Pen, a introdução de Jesus de Paula Assis. O livro saiu na coleção Barco a Vapor, que é muito internacional (tem autores africanos, argentinos, cubanos, espanhóis, franceses, ingleses, italianos, uruguaios, etc.) e publicou também brasileiros como Heloísa Prieto, Sylvia Orthof, Marcos Bagno, Menaton Braff, Carolina Cunha, Ricardo Azevedo, Flávio Carneiro, Gláucia Lewicki, Ivan Jaf e outros. A Criatura, de Laura Bergallo e A Fenda do Tempo, de Dionísio Jacob, são FC brasileira, dentro dessa coleção. O livro de Bradbury é, claro, recomendado aos fãs de FC.

Calvina, do autor italiano Carlos Frabetti, é lançamento deste ano, uma história de fantasia para adolescentes em que tudo parece ter um forte ambivalência ou dualidade, a começar pela protagonista, que ora se apresenta como Calvina, ora como Calvino. Frabetti escreve em espanhol, e o livro foi traduzido para o português por Reynaldo Damazio. Na Espanha, recebeu o Prêmio Barco a Vapor em 2007.

O Golem do Bom Retiro (2008), do brasileiro Mario Teixeira, é fantasia contemporânea ambientada na São Paulo da década de 80, com seus skinheads neo-nazistas – e um Golem (o “monstro” que teria inspirado Mary Shelley em Frankenstein) que é invocado para combatê-los. Um conceito muito instigante, já que aproxima a cultura judaica do contexto brasileiro. Teixeira é roteirista de TV e já escreveu para Castelo Rá-Tim-Bum da TV Cultura e para Sítio do Picapau Amarelo, da Globo. O livro traz ainda ótimas ilustrações de Renato Alarcão.

Outra coleção bastante internacional da SM é a Comboio de Corda, especialmente sua série Lugar de Lendas, que traz narrativas folclóricas de Israel e do Líbano, do Senegal e da Índia, do Alasca e de outros lugares. Dessa série recebi um exemplar de Enigmas do Vampiro: Histórias da Índia (2007), da francesa Catherine Zarcate. Como o objetivo da coleção é familiarizar o leitor jovem não apenas com as narrativas populares, mas também com a poesia e o drama, o texto é todo estruturado de maneira pouco convencional.

Também na Comboio de Corda há a série Leituras de Escritor, em que um nome reconhecido monta uma antologia de contos do seu apreço, que podem servir para guiar o leitor jovem a uma tradição literária mais sofisticada e canônica, e para serem lidos sem reservas pelos leitores adultos. Luiz Ruffato e Moacyr Scliar prepararam volumes, mas recebi um exemplar organizado por Ana Maria Machado, uma ótima seleção com histórias de Edgar Allan Poe, Machado de Assis, O. Henry, Somerset Maugham, Saki, F. Scott FitzGerald, Mário de Andrade, Virgina Woolf, Clarice Lispector, Stanislaw Ponte Preta, Julio Cortazar (o já clássico “A Autoestrada do Sul”), Rubem Fonseca (o famoso “O Cobrador”), Gabriel García Márquez e Eric Nepomuceno. Vale a pena procurar por esse livro, na seção de infanto-juvenil das livrarias (ou no site da editora, em http://www.edicoessm.com.br).

Enfim, as Edições SM e Fabio Weintraub e seus colegas parecem estar fazendo um ótimo trabalho no campo infanto-juvenil, e eu espero poder comentar estes e outros livros da editora em maior detalhe, em colunas futuras.

Escritor e crítico, Roberto de Sousa Causo é autor do romance A Corrida do Rinoceronte.

Fale com Roberto Causo: roberto.causo@terra.com.br

Opiniões expressas aqui são de exclusivaresponsabilidade do autor e não necessariamente estão de acordo com os parâmetroseditoriais de Terra Magazine.