Terra Magazine

 

Sexta, 6 de outubro de 2006, 17h20

Grupo gay pede reconciliação com Cabral

Antoine Morel e Karen Cunsolo

Após retirar ontem do Senado a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que permitiria a união estável entre casais homossexuais, o candidato ao governo fluminense e senador Sérgio Cabral (PMDB) teve que dar explicações hoje o dia inteiro tentando não prejudicar a sua campanha perante uma parte do seu eleitorado: o público gay.

A retirada da PEC se deu depois de uma reunião com o bispo e senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), derrotado no primeiro turno das eleições do Rio de Janeiro. Nesta, Cabral conseguiu apoio do bispo no segundo turno contra a deputada Denise Frossard (PPS).

Cláudio Nascimento, coordenador político do Grupo Arco-Íris de Conscientização Homossexual (GAI) - fundado em 1993 e com ampla participação na causa -, se mostra decepcionado com a atitude de Cabral e disse a Terra Magazine que espera ainda uma resposta do candidato sobre a atitude.

Para ele, Cabral tem que pensar nos votos que está perdendo:

- Olha, o senador Sérgio Cabral tem um histórico de parceria com a comunidade homossexual (...) Agora, é ele que tem que calcular os prejuízos desta decisão. Um dos princípios para um bom governante é governar para todos. Ele está perdendo o voto de 10% da população.

Como comparação, evangélicos como o bispo Marcelo Crivella somam 21% da população, segundo o IBGE.

Nascimento diz que não tem a função de recomendar voto, mas afirma que, se não houver um diálogo, pode agir de forma contrária: pedir que não votem no candidato.

- Não vamos pedir que vote em outro também (...) A candidata Frossard não se comprometeu com nada ainda. Nem assinou a carta de compromisso que fizemos em setembro contra a homofobia, nem mandou representante na época.

A ação contra Cabral já parece ter começado. Nascimento e o grupo Arco-Íris estão divulgando via e-mail desde a manhã desta sexta (6) uma nota intitulada "Fundamentalismo religioso polui a política do Rio" (Leia aqui a nota do Grupo Arco-Íris que circula pela internet). O peemedebista parece preocupado com a situação. Tanto que, segundo Nascimento, procurou o representante do grupo gay para discutir e avaliar essa posição.

- Estamos dando oportunidade para ele se pronunciar. Ele procurou a gente por meio do deputado Carlos Minc para conversar. Espero que ele chegue a alguma conclusão e volte na defesa do tema(...) Isso (a retirada da PEC) é ruim para os temas de cidadania que ele levará a público quando governador. Isso coloca em xeque a credibilidade dele.

Procurado por Terra Magazine, Sérgio Cabral estava em campanha e não pôde responder se vai se encontrar com Cláudio Nascimento em breve. Os assessores de campanha do candidato também não souberam confirmar a reunião com o grupo Arco-Íris.

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol