Terra Magazine

 

Terça, 30 de janeiro de 2007, 15h40

Manchas brancas na pele são comuns no verão

Maria Falcão

O surgimento de manchas de pele é muito comum no verão. Isso porque, nessa época do ano, o calor e a umidade aumentam a oleosidade natural da pele, favorecendo o desenvolvimento de fungos, como o que causa a pitiriase versicolor ou pano branco, como essa doença é popularmente conhecida.

Além das condições climáticas, as idas mais freqüentes à praia e piscina favorecem o desenvolvimento dessa doença de pele, com o agravante que, como no verão as pessoas se expõem mais ao sol, as manchas brancas se tornam mais visíveis - enquanto as áreas não afetadas pelo fungo ficam bronzeadas, as áreas infectadas, mais claras, ficam mais evidentes.

Pra entendermos mais sobre a pitiriase versicolor, Terra Magazine conversou com a dermatologista Drª Marilu Tiuba Nogueira, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Terra Magazine: O que é o pano branco e qual a sua causa?
Dra Marilu Tiuba:
Pano branco é um termo genérico e popular usado para caracterizar manchas claras que surgem na pele. Também vulgarmente conhecida como "micose de praia", essa doença é causada por um fungo (por isso é chamada de micose) que habita a pele de muitas pessoas, fixando-se principalmente em áreas onde ocorra grande sudorese (muito suor) ou em áreas mais oleosas como a face e a porção superior do tronco. O fungo invade a pele e produz as manchas típicas, pois impede os melanócitos (células responsáveis pela cor da pele) de desempenharem a sua função normal. Em alguns casos se desenvolve tão lentamente, que pode levar meses até que seja notada. A infecção é bastante comum, especialmente em adultos jovens.

Quais são os principais sintomas dessa micose?
É comum no consultório dermatológico o paciente já chegar dizendo "estou com pano branco". De ocorrência universal e mais comum em áreas de clima quente e úmido, a pitiriase versicolor se apresenta com máculas (manchas) que descamam e que podem ter coloração variada, daí o nome versicolor - as manchas também podem ter coloração avermelhada ou escura, dependendo da pele. Essas manchas geralmente são múltiplas, podem ter várias formas e tamanhos, se distribuem de forma assimétrica, e ocorrem principalmente no peito, pescoço e costas.

Como são feitos o diagnóstico e tratamento?
O dermatologista facilmente faz o diagnóstico ao observar o aspecto da mancha. Ele pode utilizar uma luz ultravioleta para detectar a infecção ou pode examinar raspados da área infectada. O tratamento pode ser tópico para os casos não muito extensos, ou oral quando a região da pele acometida é mais extensa. O tópico baseia-se na utilização de cremes ou xampus que devem ser aplicados diretamente nas manchas, durante algumas semanas. E o tratamento oral consiste na ingestão, geralmente por 5 dias, de um medicamento antifúngico.
Apos o tratamento, pode persistir uma hipopigmentação residual (a pele continuar clara) e essa durar alguns meses. A repigmentação pode ser estimulada pela exposição solar.

Essa é uma doença contagiosa?
Não existe uma resposta definitiva para essa pergunta. O fato é que os fungos podem ser encontrados no chão, em animais e no próprio homem e o contato com esses microorganismos é inevitável. Assim, o que se pode dizer é que a transmissão se dá de várias formas, mas especialmente em lugares quentes e úmidos, como banheiros e vestiários.

Como é feita a prevenção?
Deve-se evitar a exposição aos fatores precipitantes como calor e umidade. Deve-se também secar bem o corpo, evitar o calor nas áreas afetadas, preferir roupas leves e não usar toalhas de outras pessoas.

Como diferenciar a mancha da pitiríase versicolor de outras manchas hipocrômicas?
A pitiríase versicolor pode ser confundida com outras manchas brancas como a do vitiligo, a da hanseníase ou a pitiríase alba, por exemplo. Essa diferenciação é feita no exame médico. No vitiligo, as manchas se localizam preferencialmente nas zonas à volta de orifícios e nos dedos, e o branco da lesão é característico - um branco nacarado. A pitiriase alba ou eczemátide é uma dermatite de causa desconhecida, mais comum em indivíduos alérgicos. Aqui as lesões são geralmente arredondadas, avermelhadas ou cor da pele, com descamação fina que desaparecem espontaneamente. Ocorrem principalmente na face e porção lateral dos braços. Já nas manchas da hanseníase, o que mais chama atenção é a falta de sensibilidade da pele acometida.


Por fim a Dra Marilu recomenda: "sempre na vigência de manchas claras pelo corpo, o paciente deve procurar um médico dermatologista para avaliação cuidadosa da lesão, e esse definir o diagnóstico, e instituir o tratamento adequado".


Maria Falcão é médica e mestre em jornalismo científico pela universidade de Londres.

Fale com Maria Falcão: falcaomaria@terra.com.br

Exibir mapa ampliado

O que Maria Falcão vê na Web

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol