Terra Magazine

 

Terça, 22 de maio de 2007, 08h05

"Esses Moços", de José Araripe Jr., estréia dia 25

Nas ruas da Cidade Baixa em Salvador, Darlene leva sua irmã mais nova, Daiane, para pedir esmolas. As garotas encontram ao acaso Diomedes, um senhor de 80 anos que havia perdido os sentidos após ter sido espancado. Darlene se dá conta que o velho pode ajudá-las a angariar dinheiro e recruta-o à missão. Entretanto, o convívio faz com que Daiane crie afeto pelo idoso, como se fosse um avô que não teve.

Esses Moços, novo filme do cineasta José Araripe Jr., retrata 48 horas na vida destas personagens. A estréia nacional do longa acontece na próxima sexta, dia 25. O evento de lançamento será na Estação da Estrada de Ferro da Calçada, na capital baiana. E não à toa. A trama é conduzida por esta estrada, que remete ao passado e presente da vida de Diomedes e ao futuro que os três ainda viverão. Do comércio à Paribe, a ferrovia tranpassa a região conhecida como Cidade Baixa, mostrando sua beleza e ao mesmo tempo a decadência da região.

Araripe classifica seu filme adequado a "crianças de 8 a 80 anos", uma fábula urbana que trata de temas culturais brasileiros. Para ele, está aí a distinção de Esses Moços na produção cinematográfica nacional: reproduz uma das realidades que se vive no país sem apelos a dicotomias e estereótipos. O regionalismo fica evidente ao desenrolar a trama por traçar perfis de figuras nordestinas. O elenco é local assim como toda a equipe de produção. Diomedes é representado por Inaldo Santana, e as meninas, por Chaeynd e Flaviana.

Não apenas a estrada de ferro é central em Esses Moços. A música preenche espaço fundamental. A composição de Lupcínio Rodrigues, que dá nome ao longa, serviu de inspiração, mesmo que nem sempre revelada, ao diretor. O protagonista, Diomedes, é músico como que por conseqüência da sensibilidade que ele simboliza e da qual ele é fruto (o avô de Araripe, Alencar, foi a grande fonte de idéias para o personagem). E a arte cumpre papel tão importante quanto os elementos que contam a história. Gilberto Gil regravou a canção acompanhado de Tuzé de Abreu na flauta.

Em Salvador, o filme será exibido a partir do dia 25 na Sala de Arte e no Multiplex Iguatemi. Em São Paulo, no HSBC/Belas Artes, e em Brasília, na Academia de Tênis. Esses Moços estará em cartaz durante o mês de junho nas outras capitais brasileiras.

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol