Terra Magazine

 

Quinta, 30 de agosto de 2007, 08h07

Criadores de Mundos: François Bourgeon

Claudio Martini

O parisiense François Bourgeon é um dos grandes mestres dos quadrinhos e sabe como poucos criar e recriar mundos e épocas distantes, tanto no futuro como no passado, reais ou imaginários. Após oito anos sem um novo título, foi editado em 2005 o terceiro livro da série O Ciclo de Cyann e, agora em 2007, o quarto volume desta saga prevista para cinco álbuns.

Ele nasceu em 1945, começou nas HQs nos anos 1970 com histórias curtas e, posteriormente, exercitou e apurou seu desenho e técnica narrativa nos dois primeiros títulos da série medieval Brunelle & Collin. Em 1979, iniciou a publicação da saga Os Passageiros do Vento, que resultaria em cinco álbuns, onde sua obra atingiu a maturidade e alcançou a posição de clássico dos quadrinhos.

Em Os Passageiros do Vento, as belas Mary e Isa vivem aventuras no final do século XIX. Nas cidades européias, nas savanas africanas, em navios negreiros cruzando o Atlântico ou em veleiros da armada francesa, as duas nos conduzem por uma trama repleta de sensualidade e violência. A preocupação de Bourgeon com os detalhes (com os desenhos dos navios e das vilas africanas, com planos e enquadramentos, com vestuário e armas), unidos a uma história cativante tornam esta série uma obra excepcional e um marco das HQs para adultos.

A série seguinte, Os Companheiros do Crepúsculo, retorna à Idade Média de seus primeiros livros. O cuidado de Bourgeon com a correta representação de castelos e outros locais o leva a fazer maquetes minuciosas dos mesmos para melhor reproduzi-los em seus desenhos. Mesclando a realidade e seres fantásticos, Bourgeon dá um passo para o que seria sua obra mais ambiciosa: O Ciclo de Cyann.

Com a ajuda de Claude Lacroix, Bourgeon cria para esta série um novo universo, planetas com uma nova e incomum geografia, flora, fauna, organização social, política, história, arquitetura, tecnologia, vestuário e religião. Um mundo complexo e apaixonante onde podemos mergulhar na aventura e percorrer os planetas Olh, IlO, Aldaal, Marcade.

Iniciada em 1993, O Ciclo de Cyann ficou alguns anos em compasso de espera, pois Bourgeon entrou em litígio com a editora Casterman quando esta foi vendida a outro grupo empresarial. O autor chegou a afirmar que abandonaria os quadrinhos. Só em 2005, para nossa sorte, ele retomou a série com Aïeïa d'Aldaal e Les Couleurs de Marcade, que saiu este ano pela Vents d'Ouest.

Sempre em companhia da bela Cyann, visitamos esses estranhos mundos onde se pode viajar de um planeta a outro a bordo de naves ou através de um portal tempo/espaço. As personagens femininas que conduzem as histórias do mestre francês (uma constante em todos seus livros), sempre são independentes, belas e destemidas.

Surpreendentemente, Bourgeon nunca foi editado no Brasil. Os raros e caros exemplares em nossa língua que circularam por aqui foram publicados pela portuguesa Meribérica/Liber, e os dois últimos volumes saíram pela Edições ASA.

Já está na hora de termos esta e as outras séries de Bourgeon publicadas aqui para dar uma oportunidade aos leitores brasileiros de conhecer esses mundos criados por um mago na arte de contar e de desenhar histórias.


Claudio Roberto Martini é designer gráfico e publisher da editora de HQs Zarabatana Books

Fale com Claudio Martini: claudio.martini@terra.com.br
 
Reprodução
'Les Couleurs de Marcade', parte de 'O Ciclo de Cyann' - histórias sempre conduzidas por personagens femininas

Exibir mapa ampliado

O que Claudio Martini vê na Web

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol