Terra Magazine

 

Terça, 11 de março de 2008, 18h15 Atualizada às 12h59

Justiça invade apartamento de ACM em Salvador

Bob Fernandes, Claudio Leal e Thais Bilenky

Por determinação da justiça, na manhã desta terça-feira, 11, o apartamento do ex-senador Antonio Carlos Magalhães, morto em julho passado, foi ocupado durante sete horas por oficiais de Justiça e pela Polícia Militar em Salvador.

Segundo a família, os oficiais chegaram ao apartamento, onde hoje mora a viúva de ACM, Arlette Magalhães, em carros da construtora OAS, de propriedade de César Matta Pires (marido de Tereza, filha de ACM e autora da ação). Arlette está numa fazenda, no interior do Estado.

Veja também:
» Autora da ação é minha irmã, diz ACM Junior
» A história da devassa judicial na casa de ACM

O enfrentamento na Bahia, hoje, tem uma de suas origens numa disputa que não é apenas pelo inventário. Em relação ao grupo da Rede Bahia, César Matta Pires já havia se frustrado e ficado irritado com um acordo entre a família do falecido deputado Luiz Eduardo Magalhães e o senador Antonio Carlos Magalhães Jr. (DEM), pai do deputado ACM Neto (DEM).

César queria o controle do grupo de mídia e o afastamento de ACM Jr. da empresa, mas seguiu com seus 33,3 %, equanto as famílias dos dois filhos de ACM (Luiz Eduardo e ACM Jr.) têm 66,6%. César é oficialmente casado com Tereza, outra filha do ex-senador.

Tereza entrou com uma ação contra o inventário. A juíza auxiliar da 14ª Vara da Família, Fabiana Andrea Almeida Oliveira Pellegrino - mulher do deputado federal Nelson Pellegrino (PT-BA) -, determinou o levantamento dos bens. Ouvido por Terra Magazine, o deputado, adversário do ex-senador, comentou o episódio:

- Ela é juíza concursada e o processo caiu nas mãos dela por sorteio. É uma juíza independente, não interfiro, não faço política com ódio. Não me intrometo nas decisões judiciais dela. O que eu tenho a dizer é que ela é uma juíza séria, independente, comedida, e se ela determinou isso, foi com base na lei - afirma Nelson Pellegrino.

O oficial de justiça entrou no apartamento e fotografou os bens de ACM, inclusive sua coleção de santos barrocos.

Laços de família

César Matta Pires hoje controla apoximadamente 95% da OAS. Os outros 5%são de José Adelmário Pinheiro Filho. Lê-se que o inventário de ACM seria da ordem de R$ 400 milhões, mas experts no assunto e conhecedores das posses da família dizem ser muito menos, inclusive porque grande parte dos bens - por exemplo, todo o grupo de mídia - não estava em nome dele e, sim, dos filhos, parentes etc. Numa estimativa dessas pessoas próximas, a fortura andaria pela casa dos R$ 30 milhões.

Amigos da família testemunham a insatisfação de César Matta Pires. Um deles garante: "Dessa vez, ele vai com tudo."

No telejornal das 19h, a TV Bahia, de propriedade dos Magalhães, mostrou imagens do oficial de Justiça abrindo o apartamento com uma chave "micha". O porteiro do prédio disse que foi ameaçado de prisão, caso o portão não fosse aberto. A emissora afirmou ainda que tentou falar com Tereza Matta Pires, em São Paulo, mas foi informada que ela se encontra no exterior.

Leia a "Nota Pública" da família de ACM:

A família do senador Antonio Carlos Magalhães repele o ato brutal e violento que foi cometido durante o dia de hoje, por mais de seis horas, contra a residência da senhora Arlette Magalhães, viúva do senador Antonio Carlos Magalhães.

Sob pretexto de cumprir uma ordem judicial de avaliação de bens, 3 oficiais e 6 soldados da Polícia Militar da Bahia, acompanhados de 2 oficiais de Justiça e dois chaveiros, além de quatro advogados da Construtora OAS, arrombaram o apartamento da senhora Arlette Magalhães, situado a Rua da Graça, 383, aptº 1701, num claro ato de violação de pri-vacidade e propriedade.

O agravante é que a ação de funcionários do Estado da Bahia e da Justiça recebeu o apoio logístico da Construtora OAS, cujo o proprietário César Mata Pires é parte interessada no processo. Veículos pertencentes a César Mata Pires transportaram oficiais de Justiça e um motorista do empresário foi comprar lanches no McDonalds para os militares.

Diante de tais atos de brutalidade e falta de civilidade contra a viúva do senador, que em nenhum momento foi citada na ação, a família do senador Antonio Carlos Magalhães vem a público dizer que todas as medidas legais serão tomadas e ao mesmo tempo vem agradecer as manifestações de solidariedade que vem recebendo de diversas pessoas da Bahia e de outros estados do Brasil.

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol