Terra Magazine

 

Quarta, 9 de julho de 2008, 10h40 Atualizada às 10h53

Advogado: Dirceu não tem relação com Daniel Dantas

José Cruz/Agência Brasil
O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, que assegura não ter nenhuma relação com grupo de Daniel Dantas; o relatório da PF cita seu nome, mas o ...
O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, que assegura não ter nenhuma relação com grupo de Daniel Dantas; o relatório da PF cita seu nome, mas o delegado Protógenes Queiroz não vê indícios suficientes para relacioná-lo ao grupo de Dantas

Raphael Prado

O advogado do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu garante que seu cliente não tem nenhuma relação com o grupo de Daniel Dantas, preso nesta terça-feira, 8, em operação da Polícia Federal. José Luis de Oliveira Lima afirma ainda que Dirceu "não tem por que se manifestar sobre o assunto":

- O José Dirceu não tem nenhuma preocupação, não tem nenhuma relação com essa história. Ele é um cidadão comum que aguarda o desenrolar dessa história.

Veja também:
» Opine aqui sobre a prisão de Daniel Dantas, Naji Nahas e Celso Pitta
» BrOi: emissários de Dantas tentam chegar a Dilma
» Celso Pitta recebia dinheiro vivo de Naji Nahas
» Inferno de Dantas - Um Raio X do Opportunity Fund
» Dantas-Nahas: Para entender a organização

O advogado assegura que José Dirceu "não tem nenhuma relação com Daniel Dantas", nem mesmo da época em que foi ministro. O nome de Dirceu freqüenta o relatório da Operação Satiagraha - revelada com exclusividade por Terra Magazine. O delegado Protógenes Queiroz, chefe da ação, no entanto, afirmou que não há indícios suficientes para ligar o ex-ministro ao que ele mesmo, delegado, se refere como organização criminosa investigada.

José Dirceu, diz o advogado, não vai se manifestar sobre a Operação da Polícia Federal. Desde ontem, dia em que a ação da PF foi deflagrada, internautas cobravam no blog de Dirceu que ele comentasse a Satiagraha. Mas ele não vai falar:

- Ele não tem porque se manifestar. É um cidadão comum aguardando o desenrolar.

Satiagraha

Comandados pelo delegado Protógenes, quase 300 agentes da Polícia Federal iniciaram a operação que cumpre 24 mandados de prisão - além de 56 ordens de busca e apreensão. Na ação deflagrada nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e em Brasília, foram presos, além do banqueiro Daniel Dantas, dono do grupo Opportunity, sua irmã Verônica e seu ex-cunhado e dirigente do OPP, Carlos Rodenburg, o também diretor Arthur de Carvalho, o presidente do grupo, Dório Ferman, o especulador Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta.

Segundo a Polícia Federal, eles são acusados de formação de quadrilha, gestão fraudulenta, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol