Terra Magazine

 

Sexta, 13 de março de 2009, 09h32 Atualizada às 08h45

10 lutadores estrangeiros para ficar de olho

Gustavo Noblat
De Brasília (DF)

Rússia, Japão, Estados Unidos e Canadá, além do Brasil, são os principais pólos de lutadores de mistura de artes marciais (MMA em inglês) - esporte ainda chamado de vale-tudo por aqui.

Portanto, torna-se árdua a tarefa de selecionar 10 lutadores estrangeiros de vale-tudo que prometem brilhar em 2009. São muitas as opções.

Na Europa, em especial na Inglaterra, o vale-tudo ganhou popularidade e bons atletas estão surgindo ali, como, por exemplo, Michael Bisping e Dan Hardy.

Como preparei uma lista dos 10 brasileiros que devemos ficar de olho este ano e alguns leitores me pediram uma lista de gringos, segue ai os principais nomes, neste momento, do vale-tudo estrangeiro, na minha humilde opinião.

Encabeça a lista o quase imbatível Fedor Emilianenko, lutador russo considerado o maior nome do vale-tudo atual. Depois vem o canadense Georges ST Pierre, seguido do filho de mexicanos radicados em Chicago (EUA) Miguel Torres. O experiente Gegard Mousasi, da Armênia, fecha a lista.

Sim, deixei Chuck Liddell de fora, apesar de ele ser um nome fortíssimo. Até porque acredito que Maurício Shogun Rua irá vencê-lo no próximo Ultimate Fighting Championship (UFC) diminuindo suas chances de brilhar este ano. Segue a lista:

1 - Fedor Emilianenko - É mais seguro apostar em Fedor do que investir na Bolsa de Valores. Não perde há oito anos e detém o cinturão peso-pesado do WAMMA - associação mundial de torneios de MMA. O único a vencê-lo foi Tsuyoshi Kohsaka em 2001 por interrupção médica. Na revanche, anos depois, Fedor vingou a derrota de maneira incontestável. Chamado pelos fãs de "O último Imperador" é o cara a ser batido. Visto por muitos críticos como o melhor lutador de vale-tudo de todos os tempos, é o principal nome do Affliction, uma marca de roupas que resolveu investir em combates de mistura de artes marciais. Nasceu em 1976 na Rússia e especializou-se em sambô, uma arte marcial do exército russo que combina golpes de wrestiling, judô e boxe. Foi militar e bombeiro antes de se tornar um atleta profissional.

2 - Georges ST Pierre - O maior nome do Canadá no vale-tudo é um lutador excepcional de wrestiling e, na minha modesta opinião, o mais bem preparado fisicamente para competir. Incansável, esse ex-lixeiro é um dos atletas mais bem pagos e, para muitos fãs, o melhor entre todas as categorias de peso. Começou a treinar caratê ainda jovem e hoje é o dono do cinturão do UFC na categoria até 77kg. Sua última luta, contra BJ Penn, foi a mais importante de sua carreira e valeu como uma revanche entre eles. GSP havia batido BJ em 2006 numa decisão dos juízes. Este ano, venceu de novo, de forma contundente. Antes do último combate entre BJ e GSP, perguntei ao comentarista do Premiere Combate (canal de lutas da TV à Cabo) Carlão Barreto em quem ele apostaria? Sua resposta resume o que aconteceu na luta: "A pergunta é: Que Bj irá lutar? Se for o Bj profissional, acredito em seu talento e conseqüentemente em um bela vitória, agora se for o Bj amador (acostumado a treinar pouco), St Pierre ganhará este combate de forma contundente! Ressalto que acho o St.Pierre a síntese do lutador moderno, gosto muito de seu estilo", - disse Carlão. GSP (18 vitórias e 2 derrotas) agora sonha em lutar contra o brasileiro Anderson Silva, campeão da categoria até 84 kg do UFC.

3 - Miguel Torres - Faixa-preta de jiu-jitsu graduado pelo professor brasileiro Carlson Gracie. JR e filho de imigrantes mexicanos radicados em Indiana (EUA). Torres é mais um que encabeça a lista de lutadores apontados como os melhores entre todas as categorias de peso, assim como Fedor, GSP e Anderson Silva. Seu estilo de luta é bem agressivo. Em pé usa golpes do mauy thai (socos, chutes e cotoveladas). De 36 combates perdeu apenas um, para Ryan Ackerman, um atleta 10 quilos mais pesado que ele. Dois anos depois, em 2005, devolveu a derrota com uma torção (chave) no braço de Ryan. Acumula no cartel 22 vitórias por finalização (golpes não traumáticos de jiu-jitsu), 8 por nocaute e 5 por decisão dos juízes. É o atual campeão do World Extreme Cagefighting e do Shotoo USA na categoria até 62kg (bantamweight).

4 - Quinton Rampage Jackson - Esse americano especialista em wrestiling e boxe costuma carregar no pescoço uma corrente de ferro daquelas usadas para guinchar pequenos veículos. E até pouco tempo atrás carregava também o cinturão do UFC da categoria mais disputada do torneio, a meio-pesado (93 kg). Perdeu o título de campeão para Forrest Griffin em maio do ano passado numa decisão polêmica e, para mim, injusta dos juízes. Depois disso bateu dois atletas excepcionais, um deles o brasileiro Wanderlei Silva, e já se credenciou mais uma vez para disputar o cinturão. Antes de Griffin, sua última derrota acontecera em abril de 2005 para o brasileiro Maurício Shogun Rua. Venceu até hoje 30 combates e perdeu sete. Será uma das principais estrelas do UFC este ano.

5 - Rashad Evans - Vencedor do reality show do UFC, onde bateu 4 lutadores para ganhar um contrato com o maior torneio de vale-tudo do mundo, Rashad é o atual detentor do cinturão dos meio-pesados. Derrotou Griffin para sagrar-se campeão. Sua primeira defesa de título será no dia 23 de maio, no UFC 98, contra o carateca brasileiro Lyoto Machida. Será um duelo de invictos. Rashad venceu até hoje 13 adversários e empatou contra Tito Ortiz, ex-campeão da categoria. Lyoto venceu 14 lutas, uma deles contra Tito. Rashad costumava competir entre os atletas pesos-pesados e tentará impor seu wrestiling e força bruta contra Lyoto. Mesmo que perca para o carateca brasileiro, o americano continuará no topo da categoria.

6 - BJ Penn - Nascido no Havaí e treinado no início de sua carreira pelos brasileiros Ralph Gracie e André Pederneiras, BJ (13v, 5d e 1e) é apontado pelos críticos como o lutador mais talentoso dos Estados Unidos. Apelidado de "O Prodígio" por ter conquistado cedo fama no vale-tudo, BJ foi o primeiro americano a vencer um torneio mundial de jiu-jitsu na faixa-preta. O que pesa contra ele é sua insistência em se dedicar pouco aos treinamentos. É o atual campeão da categoria dos leves do UFC. Se tivesse derrotado o canadense GSP teria tornado-se o primeiro lutador a possuir, ao mesmo tempo, dois cinturões do UFC em categorias de peso diferentes. Sobre BJ, seguem algumas palavras do experiente Carlão Barreto, que além de comentarista é um dos pioneiros do vale-tudo no Brasil: "Curto muito o estilo do Bj, ele é um talento natural, tem facilidade para aprender, tem bons reflexos e é inteligente. Mas tem um problema, sua conduta, que oscila entre o a postura correta de um profissional, que se cuida e zela por sua carreira e a postura amadora, que acha que só talento e coração ganham um combate", afirmou Carlão. O próximo compromisso de BJ será contra Kenny Florian em luta válida pelo cinturão.

7 - Frank Mir - Nem Mir acreditava que bateria o baiano Antônio Rodrigo Minotauro em sua última aparição no UFC 92. Mas sua vitória por nocaute sobre o brasileiro no dia 27 de dezembro de 2008 o alçou de vez ao topo da categoria dos pesados. Depois da luta ele assumiu que só um louco apostaria nele. Mas o fato é que Mir foi o primeiro atleta a conseguir nocautear o Minotauro. Acumula agora 12 vitórias e apenas 3 derrotas no cartel.O atual campeão peso-pesado do UFC, Brock Lesnar, será o próximo desafio de Mir. Ano passado os dois lutaram. Mir encaixou uma chave (torção) de joelho em Lesnar e venceu a luta. Se no próximo confronto o resultado se repetir, será a segunda vez que Mir conquistará o cinturão do UFC. A primeira foi em 2004.

8 - Brock Lesnar - O gorila rosa ou godzilla albino é um gigante de mais de 120 kg ainda inexperiente no vale-tudo, porém já é o dono do cinturão do UFC. Seu primeiro combate em torneios de mistura de artes marciais aconteceu há pouco mais de dois anos. Como é um dos atletas mais famosos e rentáveis do wrestiling americano logo foi prestigiado com a disputa do cinturão dos pesos-pesados do UFC. Nocauteou o experiente Randy Couture e agora está à espera da revanche contra Mir. A luta só vai acontecer depois que Mir se recuperar de uma lesão no joelho. Com 3 vitórias e uma derrota, Lesnar ainda é uma incógnita. Mas suas boas apresentações diante de Couture, ex-campeão da categoria, e Heath Herring lhe puseram, pelo menos por este ano, entre os principais nomes do vale-tudo.

9 - Shinya Aoki - Por pouco Aoki não completou o curso da Academia de Polícia e se tornou um agente de segurança pública nas ruas de Tóquio. Ele preferiu virar herói japonês ao ingressar de vez na carreira de lutador de vale-tudo. É um dos melhores lutadores de jiu-jitsu e o principal nome do Japão. Venceu 20 combates, 12 aplicando golpes de jiu-jitsu e perdeu apenas três. Aoki é a maior estrela do Dream, torneio japonês de vale-tudo. O problema é que a última edição do evento teve uma média de audiência baixíssima, menos de 2,50% do total do público. A luta do Aoki foi a mais vista e atingiu pouco mais de 4% dos telespectadores. Um número ínfimo perto do que era o mercado do Japão na época do falecido Pride. Aoki poderá passar boa parte do ano atrás de um novo evento, caso o Dream não vingue.

10 - Gegard Mousasi - Campeão até 84kg do Dream, esse armênio radicado na Holanda é um dos lutadores mais completos do vale-tudo. Sua arma é o muay thai, mas possui um bom jogo de quedas e de jiu-jitsu. Na primeira semana de março desafiou Vitor Belfort para um combate no Affliction. Seu objetivo é lutar entre os pesos-pesados já que pesa naturalmente 97kg. Em seu último combate derrotou o excelente lutador de jiu-jitsu Ronaldo Jacaré na final do torneio do Dream. Venceu suas últimas 11 lutas e acumula um cartel de 24 vitórias e 2 derrotas. Antes de virar uma das estrelas do vale-tudo era segurança de bar.


Guga Noblat é jornalista e colaborador do site de Misturas de Artes Marciais (MMA): www.fight2live.net. Cobre política para o Blog do Noblat e já trabalhou como roteirista e produtor de programas de TV.


Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais de Terra Magazine.

 
Divulgação
Fedor Emilianenko: mais seguro que bolsa de valores

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol