Terra Magazine

 

Quinta, 4 de março de 2010, 07h41 Atualizada às 10h00

Nos 100 anos de Tancredo, MG inaugura Cidade Administrativa

Agência Brasil
O político brasileiro Tancredo Neves em Brasília. Mais ao fundo seu neto, Aécio Neves (olhando em direção ao fotógrafo)
O político brasileiro Tancredo Neves em Brasília. Mais ao fundo seu neto, Aécio Neves (olhando em direção ao fotógrafo)

No dia 4 de março deste ano o ex-presidente Tancredo Neves (1910-1985) completaria 100 anos. Em homenagem ao centenário do seu nascimento seu neto, o governador de Minas Gerais Aécio Neves, inaugura a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves.

No Congresso Nacional, sessão solene marcou o centenário nesta quarta-feira, 3. Deputados e senadores lembraram a trajetória política do mineiro de São João Del Rei, em especial sua participação no turbulento período que marcou o fim da ditadura militar e o processo de redemocratização do país. Na cerimônia, Aécio Neves declarou:

- Esperamos - sempre e eu de forma muito clara - que os valores e as crenças daqueles que, como Tancredo e seus companheiros, que vieram antes de nós e cumpriram os seus deveres, possam impregnar as convicções dos homens públicos de hoje.

Trajetória
Tancredo foi deputado federal, primeiro ministro, senador e governador de Minas Gerais. Sua eleição para presidente da República, em 1985, representou o fim da ditadura militar iniciada em 1964.

Um dia antes da posse, marcada para 15 de março de 1985, Tancredo foi submetido a uma cirurgia de emergência. Morreu na noite de 21 de abril, depois de sete cirurgias infrutíferas. No dia 23, o corpo de Tancredo chegou ao aeroporto de Belo Horizonte para receber as homenagens de 2 milhões de pessoas.

Cidade Administrativa
Na inauguração do conjunto de prédios se reunirão diversas lideranças políticas. Foram convidados o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Itamar Franco, o governador de São Paulo, José Serra, ministros do Superior Tribunal de Justiça, senadores e deputados. Os servidores estaduais e os operários das obras do complexo serão representados por um grupo de trabalhadores convidados.

A nova sede do governo mineiro é o segundo centro administrativo projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer - o primeiro, em Brasília, completa 50 anos no dia 21 de abril. Até fim de outubro, mais de 16 mil servidores públicos atualmente distribuídos em 53 endereços de Belo Horizonte serão transferidos para a Cidade Administrativa.

Cerca de dois mil servidores já estão trabalhando no local e ao final do processo de mudança, um total de 16.300 servidores trabalharão reunidos no complexo.

A Cidade Administrativa custou R$ 1,2 bilhão e foi concebida pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que retomou o projeto urbanístico traçado por Juscelino Kubitschek para Belo Horizonte na década de 40, quando foi prefeito da capital mineira. Na época, JK incentivou a urbanização da Pampulha, na zona norte da cidade.

Segundo a assessoria de imprensa do governo de Minas Gerais, a intenção é reverter em definitivo o processo de empobrecimento marcado pelo crescimento demográfico e empobrecimento socioeconômico da região.

O auditório principal leva o nome de Juscelino Kubistchek, que tem uma frase inscrita na entrada: "Creio na vitória final e inexorável do Brasil como nação". No parlatório localizado em frente à nova sede do Governo do Estado, está inscrita a frase de Tancredo Neves: "O primeiro compromisso de Minas é com a liberdade".

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol