Terra Magazine

 

Sexta, 25 de fevereiro de 2011, 10h07 Atualizada às 10h47

Presidente do Clube dos 13: Dissidência não dura uma semana

Ricardo Matsukawa/Terra
O presidente do Clube dos Treze, Fábio Koff, duvida da força da cisão na entidade
O presidente do Clube dos Treze, Fábio Koff, duvida da força da cisão na entidade

Eliano Jorge

Um dia, muitos discursos e várias costuras internas depois de seis associados inciarem uma debandada do Clube dos 13, o presidente da entidade, Fábio Koff, trocou o tom de descrença na cisão pelo de desafio à confirmação dela. Em entrevista exclusiva a Terra Magazine, na noite desta quinta-feira (24), ele assegurou que os 20 filiados permanecerão.

- O movimento não resiste uma semana.

Portanto, ele não acredita sequer na saída do Corinthians, o primeiro dos declarados insurgentes, que pediu formalmente seu desligamento do grupo.

- Acho que houve uma precipitação, uma antecipação por parte do presidente do Corinthians (Andres Sanchez) e os envolvimentos dele com os interesses de uma rede de televisão (Globo) e da CBF. É o segundo tempo daquela briga da eleição (do Clube dos 13, em abril de 2010) - acrescentou Koff, incluindo disputas pessoais e políticas entre os motivos do racha na entidade que dirige.

A polêmica irrompeu nesta semana, quando o Clube dos 13 lançava um edital de licitação para venda dos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro de 2012 a 2014 pela TV aberta. Publicamente, Corinthians, Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo e Coritiba manifestaram sua pretensão de barganhar os valores de suas cotas financeiras por conta própria. Outros times ensaiavam segui-los.

- Não existe negociação em separado - rejeitou Koff. - Pelo estatuto do Clube dos 13, quem negocia por eles é o Clube dos 13.

Torna-se evidente a vontade de vários cartolas em continuarem com a Globo, mesmo embolsando menos dinheiro do que a Record poderia oferecer. Assim, o novo modelo de concorrência é criticado por alguns. Antes, devido a uma cláusula de preferência, a atual emissora parceira podia igualar ofertas das outras e manter seu domínio. Seus clubes aliados, agora, temem que a Record cumpra a promessa de vencer o leilão. Nos bastidores, propalam até insinuações de suborno. Da mesma forma, insinuações de suborno são feitas à operação que tenta desestabilizar o Clube dos 13.

Sobre essas acusações usadas como arma na batalha, Koff rebateu com veemência:
- Ah, não pode oferecer mais? Então não faz concorrência, dá pra Globo. Se apareceu alguém que pagou mais e levou, o Clube dos 13 recebeu propina: é um absurdo. É um raciocínio imbecil.

Ele disse não enxergar indícios de corrupção em nenhum dos lados. "Estou acreditando que é limpo. É uma coisa incrível que está acontecendo nesse país. Isso é uma consciência que se instalou, que os valores éticos não existem, que todo mundo rouba, que todo mundo é ladrão, que está cheio de ladrão solto, cheio de vigaristas. Vamos partir da presunção de que as pessoas sejam sérias", opinou.

Confira a entrevista com Fábio Koff.

Terra Magazine - Houve várias conversas entre membros do Clube dos 13 desde a sinalização de debandada, quarta-feira (23). Como está a situação agora?
Fábio Koff -
Nós encaminhamos um ofício ao Corinthians, acusando recebimento do ofício dele e chamando a atenção para as normas do nosso estatuto, que prevê, para a hipótese de afastamento de afiliado, ficar 30 dias preservado da condição de filiado. Não é assim: "Vou embora". Durante 60 dias, ainda tem que cumprir os compromissos. Parece que o presidente do clube deve ser acompanhado da decisão do conselho diretivo dele. Se não tivesse essa norma, seria uma esculhambação. Um quer sair, o outro quer ficar...

O Corinthians também recebeu um adiantamento de R$ 20 milhões do Clube dos 13 e...
Não, isso aí não preocupa porque o Corinthians tem créditos para receber. Não é isso. Acho que houve uma precipitação, uma antecipação por parte do presidente do Corinthians (Andres Sanchez) e os envolvimentos dele com os interesses de uma rede de televisão e da CBF. É o segundo tempo daquela briga da eleição (do Clube dos 13, em abril de 2010). Por isso que estou sentido.

Houve até palavras duras na discussão pública, nesta semana, o senhor chegou a chamar de "moleque" o ofício do presidente corintiano. É possível uma reconciliação?
O ofício dele é moleque. Eu sempre o respeitei. O ofício dele era desrespeitoso, irresponsável e moleque. Sempre tive consideração, uma boa relação com ele, de independência de opinião. Ele, com toda razão, como responsável pelo clube dele, deve procurar os melhores interesses do clube dele. Mas isso não deve atingir o interesse dos outros.

O senhor acredita que o Corinthians ainda possa negociar os direitos de transmissão junto com o Clube dos 13?
Se voltar, estamos prontos para recebê-los. Não sei, vai depender dele. Não se tolhe a vontade da pessoa de escolher seu melhor destino. Se ele tiver uma proposta que pague mais de R$ 1,3 bilhão (aos clubes) por ano, vou ser o primeiro a vir a público dizer: "Puxa, que competência!". E aí o Corinthians faz uma administração melhor, com mais dinheiro, torço por isso.

Nos bastidores ou indiretamente, os dirigentes que querem negociação à parte afirmam que este formato de licitação faz prevalecer o valor financeiro...
Sim, mas a concorrência não é para isso?

Pois é, mas eles alegam que aceitam receber menos da Globo por acreditar que ela valoriza mais o produto do futebol. Existe isso mesmo ou é conversa fiada?
Sim, mas eles que se justifiquem ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) por que não fazem concorrência. Não é do regime transparente das relações mercantis evitar o monopólio e fazer concorrência? Para ser transparente: eu pago tanto, tu pagas tanto, ganha quem paga tanto. E uma diferença técnica de 10% para a empresa que tem mais exposição, mais mídia, mais alcance, que é a Globo. O que ela quer? 40% de diferença? Não vai levar. Nem o Cade permite. Precisamos observar as normas do Cade. Fizemos um compromisso de ajuste, estamos dentro das regras. Agora vêm com outros componentes que não entram aí, né?

Então é por isso mesmo que preferem a Globo?
Ou será que preferem porque paga menos? Não sei. Quem tem que responder são eles. Eu não sei. No Clube dos 13, estou há 13 anos, a briga sempre foi porque cada um queria receber mais. Agora estão brigando para receber menos, eu não entendo. É uma loucura total, tchê!

Pelo estatuto do Clube dos 13, todos os filiados são obrigados a negociar coletivamente?
Pelo estatuto do Clube dos 13, quem negocia por eles é o Clube dos 13.

Então seria impossível legalmente essa história de cada um negociar por si e continuar filiado?
Isso aí não existe. O objeto da negociação é uma competição, que envolve um bem comum: o campeonato. Aí tu vais numa emissora que pagou 30, tu tens que ir no outro, tem que concordar. "Ah, pagou 20, então eu acerto". Só vai fazer se tiver um documento único. Não existe negociação em separado. Quem tentou isso e ainda está tentando é a Espanha. A Itália fez (negociação) coletiva. A Inglaterra, coletiva. Não fizemos uma pesquisa e uma proposta com valores aleatórios. Nosso (diretor) executivo (Ataíde Gil Guerreiro) andou na Europa, consultou as empresas, consultou nos EUA... Um homem altamente respeitado, sério, competente, independente, inteligente.
Quem ganhar menos precisa explicar por que ganha menos. Inventaram isso agora de exposição. O grande problema das pessoas é que não leem. Não leem. E recebem por mês uma pesquisa que mostra (gráficos estatísticos com) a curva da televisão, a audiência, o contentamento ou o descontentamento do torcedor. Por mês, eles recebem isso. Não leem! Tanto é que fizemos uma diferença técnica, a Globo ganhou uma vantagem de 10%. O valor mínimo é R$ 500 milhões; se a Globo pagar isso, para derrotá-la a Record ou a Rede TV! tem que dar R$ 550 milhões. Nós consideramos esses valores, os números da Globo de exibição intangíveis.

É possível que haja essa fragmentação do Clube dos 13, cada clube negocie à parte com a Globo e eles se contentem com os valores mínimos do edital, que já são muito melhores do que os atuais? Ou seja, o grupo de Flamengo e Corinthians recebe mesmo os R$ 42 milhões (prometidos pelo Clube dos 13); os times do último grupo arrecadem R$ 24 milhões...
Quem tem que responder são eles. Têm que dar satisfação à opinião pública, seus associados, seus torcedores. "Por que eu, em vez de receber 80, preferi receber 45". Deve ter uma explicação, né?

Nos bastidores, há uma série de acusações. Dizem que o Clube dos 13 tem uma má gestão, que recebe propina, por exemplo, da Record.
Como propina, se estou fazendo concorrência? É um absurdo! A tua pergunta e tu dar condição a algo dessa natureza. Não existe propina, é uma concorrência aberta, transparente. Eu me nego a responder uma pergunta dessa natureza.

Acusam que o formato é para facilitar que a Record ultrapasse o valor da Globo, que surpreenda.
Mas é um envelope fechado.

Pois é, acham que só assim a Record pode oferecer mais que a Globo.
Ah, não pode oferecer mais? Então não faz concorrência, dá pra Globo. Se apareceu alguém que pagou mais e levou, o Clube dos 13 recebeu propina: é um absurdo. É um raciocínio imbecil!

Do outro lado, também acusam os dissidentes de estarem recebendo vantagem ilícita da Globo...
Não existe isso aí. Em 14 anos que estou no Clube dos 13, nunca existiu qualquer dúvida sobre isso. O Clube dos 13 nomeia, enquanto fui presidente, uma comissão de quatro membros, a decisão da comissão é levada para uma diretoria de outros quatro, depois a decisão é de plenário dos 20.

Então o senhor não acredita em corrupção em nenhum dos lados. É isso?
Estou acreditando que é limpo. É uma coisa incrível que está acontecendo nesse país. Levam propina até na compra de um cartão de transporte, acham que isso vai haver com pessoas de bem também. Isso é uma consciência que se instalou no Brasil, que os valores éticos não existem, que todo mundo rouba, que todo mundo é ladrão, que está cheio de ladrão solto, cheio de vigaristas. Não divulgue essas coisas, não pergunta por isso aí, vamos partir da presunção de que as pessoas sejam sérias.

Como existem posições pouco explicadas nessa história, surgem essas acusações. O senhor também não sabe dizer por que alguns dirigentes aceitam propostas de menor valor financeiro.
Sim, mas eles podem explicar. Porque é evidente que a mídia, a exposição de uma, vale R$ 50 milhões a mais do que outra.

O senhor diz então que, pelo raciocínio deles, a exposição na Globo vale R$ 50 milhões a mais do que na Record.
Eu falo não. Eles devem entender assim.

Pode haver também pressão de patrocinadores desses clubes por preferirem a Globo?
Não sei, tem que perguntar para eles isso. Pergunta pro Andres (Sanchez) por que ele é a Globo. Pergunta pro presidente do Coritiba (Jair Cirino) por que ele é a Globo. Pergunta pro Ricardo Teixeira (presidente da CBF) por que ele prefere a Globo nos negócios. Pergunta. Eu não sei.

Que clubes o senhor garante que continuarão no Clube dos 13?
Acredito que todos.

Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Sport já garantiram.
Todos. Tem 20. Todos.

Que continuarão negociando junto com o Clube dos Treze...
O movimento não resiste uma semana. Todos!

Veja também:
» Jornal: "Racha" do C13 é coisa da Globo e da CBF, diz Koff
» Clube dos 13 "é um nada" e tem que acabar, diz João Havelange
» Dirigentes cariocas manifestam preferência pela Globo
» Presidente do Galo: Globo quer matar clubes; negociação é caso de polícia
» Direção do Clube dos 13 culpa Globo pelo racha na entidade
» C13 promete ir até o fim e diz que clubes são submissos à Globo
» "CBF tenta dividir Clube dos 13", acusa presidente do São Paulo
» Siga Bob Fernandes no twitter

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol