Terra Magazine

 

Terça, 13 de dezembro de 2011, 16h41 Atualizada às 02h15

Venício Lima: Ao ignorar livro, grande mídia mostra moralidade seletiva

Ana Cláudia Barros

Desde que foi lançado na última sexta-feira (9), o livro "A privataria tucana", do jornalista Amaury Ribeiro Jr., vem provocando rebuliço na blogosfera e movimentando o debate nas redes sociais. O reflexo da repercussão virtual pode ser medido nas livrarias, onde a procura pela obra fez com que, segundo a editora, 15 mil cópias da primeira edição se esgotassem logo nos primeiros dias. O assunto, entretanto, não ganhou espaço na chamada grande mídia, que, por ora, silencia e se mantém longe do tema.

Na análise do professor aposentado de Ciência Política e Comunicação da UnB (Universidade de Brasília), Venício Artur de Lima, há, de fato, omissão dos veículos de comunicação, que, segundo ele, podem sofrer "graves danos" por essa postura.

- A grande mídia que, nos últimos meses, tem se especializado em denúncias em torno de figuras públicas envolvidas em supostas atividades de corrupção, ao ignorar um livro que documenta uma ação que envolve homens públicos e montantes inacreditáveis de dinheiro, coloca em risco sua credibilidade. O livro é um sucesso de vendas. Não é um jornalismo baseado em suposições, em condicionais. É um livro que faz acusações e as documenta.

Para Venício Lima, é a comprovação definitiva de que "a imprensa no Brasil é partidária e ocupa o papel dos partidos de oposição".

- Não só comprova isso, como comprova que ela só ocupa esse papel quando é oposição ao governo. Quando diz respeito a um fenômeno que envolve uma figura como a do (José) Serra, ex-governador de São Paulo, ex-candidato a presidente da República, a mídia, simplesmente, omite. Então, acho que essa omissão escancara uma questão de partidarização, de moralidade seletiva que só será ignorada por aqueles que consomem determinado tipo de mídia porque pensam da mesma forma - critica.

Ele emenda:
- A moralidade da mídia é seletiva. Revela quando interessa e omite quando não interessa à posição político-partidária que assume. Isso é claro como a luz do dia.

Blogosfera

Venício Lima destaca a emergência dos blogs e a quebra do monopólio da formação de opinião.

- Não é um fenômeno novo. Uma das características da emergência da internet, da blogosfera é exatamente a quebra do monopólio da formação de opinião que a grande mídia e alguns dos principais colunistas, os chamados formadores de opinião, exerciam. A blogosfera quebra isso. Com todos os problemas de acesso e de repetição, na própria blogosfera, de personagens ligados à mídia tradicional, ela oferece uma pluralidade e uma diversidade que a grande mídia não oferece. E ela horizontaliza a formação de opinião, porque vai diretamente nas lideranças de opinião. A internet, na verdade, fez com que houvesse um deslocamento da formação de opinião desses grupos mais tradicionais para essa liderança de opinião mais horizontalizada.

Veja também:
» Secretário do PT defende Falcão de acusações de "A privataria tucana"

» Livro de jornalista acusa Daniel Dantas de pagar propina a tucanos
» Líder do PSDB minimiza denúncia contra tucanos: É café requentado
» "Não tô nem sabendo", diz FHC sobre livro de Amaury
» Confira a carta entregue por Amaury Ribeiro Jr. aos jornalistas
» Jornal: Amaury Ribeiro Jr. usou flat de assessor ligado ao PT
» PF indicia jornalista Amaury Ribeiro Jr. por quebra de sigilo
» Dutra: "Tinha uma central de espionagem comandada pelo PSDB"
» Serra diz que depoimento de Amaury à PF é "mentira petista"
» Siga Bob Fernandes no twitter

 
Divulgação
O livro "A privataria tucana", de Amaury Ribeiro Jr

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol