Terra Magazine

 

Quarta, 15 de fevereiro de 2012, 08h19

Mulatice de Mário de Andrade é celebrada no Museu Afro Brasil

Jorge de Castro/Divulgação
Fotografia de Mário de Andrade, por Jorge de Castro, presente na exposição cenográfica do Museu Afro Brasil
Fotografia de Mário de Andrade, por Jorge de Castro, presente na exposição cenográfica do Museu Afro Brasil

Para celebrar os 90 anos da Semana de Arte Moderna de 1922, o Museu Afro Brasil, em São Paulo, abrirá nesta quinta-feira (16), às 19h, uma exposição cenográfica sobre o escritor Mário de Andrade, um dos líderes do modernismo brasileiro, ao lado de Oswald de Andrade. Com o título inspirado em "Macunaíma" (''Mário - Eu Sou um Tupi Tangendo um Alaúde"), ela trará pinturas, objetos, imagens e poemas. O curador e escultor Emanoel Araújo pretende destacar a "mulatice" do intelectual paulistano.

- É o Mário total. Sou fascinado pela mulatice de Mário de Andrade. Ele encarna essa genialidade mulata. Ele fala da racialidade mulata que deu Domingos Caldas Barbosa, Aleijadinho e todos os outros. Mário entra pela África através da religiosidade, dos ex-votos. E faz aquele lindo livro sobre Jesuíno do Monte Carmelo, de São Paulo. A ideia da exposição é muito mais sobre Mário do que pela Semana de Arte Moderna - explica Araújo.

Chamado de "meu poeta futurista" por Oswald, mais tarde seu notório desafeto, Mário publicou ensaios e livros fundamentais para a compreensão da brasilidade. Na exposição do Museu Afro, Macunaíma ocupará um lugar central, com a instalação de um peji. Emanoel descrê nos impactos estéticos da Semana, ao passo que destaca a influência de Mário de Andrade para a mentalidade nacional.

- A Semana ainda está envolva por um certo lirismo brasileiro de eufemismos, de um País supercaipira nos anos 20, com meia dúzia de grã-finos. Não teve essa consequência que querem imprimir. De moderno, talvez, só Anita Malfatti, à maneira alemã. Mário é a brasilidade em Macunaíma, na Paulicéia Desvairada, na Lira Paulistana... Ele é a paulistanidade. Consegue ver, de São Paulo, o Brasil. Quero enfatizar o Mário de Macunaíma, esse mito que, para mim, é o grande mito nacional - avalia o curador.

Mário - Eu Sou um Tupi Tangendo um Alaúde"
Museu Afro Brasil

Telefone: (11) 3320-8900
Av. Pedro Alvares Cabral, s/n
Pavilhão Pe. Manoel da Nobrega
Parque Ibirapuera - Portão 10
CEP 04094-050- São Paulo - SP

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol