Terra Magazine

 

Segunda, 27 de fevereiro de 2012, 18h36 Atualizada às 18h51

Tom Zé: Uso do nome Tropicália pela Odebrecht vai contra "toda a filosofia" do movimento

Claudio Leal

Terra Magazine obteve a íntegra da carta do compositor Tom Zé à construtora Norberto Odebrecht, que decidiu "homenagear" a Tropicália no batismo de um condomínio de luxo em Patamares, no litoral de Salvador, próximo ao parque ecológico de Pituaçu. A empreiteira é acusada por Caetano Veloso de fazer "uso comercial" do ideário do movimento artístico nascido nos anos 60.

Depois de Caetano, crítico do crescimento desregulado de Salvador e primeiro a reagir à Odebrecht, o compositor Tom Zé emitiu uma notificação, avisando à empreiteira que não aceita a homenagem. Gilberto Gil seguirá o mesmo caminho. A briga pode se desdobrar na Justiça.

- ...Manifesto-me aqui, como membro do movimento tropicalista e artista da música brasileira, para requerer aos senhores que cessem o uso indevido dos nomes das obras artísticas que foram e são referência no cenário artístico nacional e internacional, posto que tal uso, além de não autorizado, vai contra toda a filosofia desse movimento, cujos participantes jamais autorizariam vincular sua obra a um empreendimento imobiliário desse porte - reage Tom Zé na carta.

Leia a íntegra.

"Prezados Senhores,

Fui informado de que os senhores estão lançando um empreendimento imobiliário na Bahia, ao qual batizaram com o nome de TROPICÁLIA. Fui também informado que, notificados por Caetano Veloso para que cessem o uso desse nome, por se tratar de obra artística de autoria de Caetano, parte do movimento tropicalista do qual participei ativamente, os senhores responderam que não pretendem mudar o nome de dito empreendimento, por entender que TROPICÁLIA é um termo sem dono, que pode ser usado para seus fins lucrativos, a guisa de prestar uma "homenagem" ao movimento tropicalista.

Tive acesso à contranotificação que os senhores encaminharam a Caetano Veloso, na qual afirmam que Caetano não poderia ser arvorar como único titular dos direitos ao termo Tropicália, por se tratar ele de apenas um dos membros do movimento tropicalista.

Os senhores citam o meu nome em sua contranotificação, entre os de outros artistas, para exemplificar que se tratou a obra Tropicália ou Panis et Circenses de uma obra coletiva, ratificando, assim, o seu ponto de vista de que Caetano Veloso não teria legitimidade para exigir que não se use do nome de sua obra artística em empreendimento comercial.

Como artista participante do tropicalismo, movimento esse que se manifestou principalmente na música (cujos maiores representantes foram Caetano Veloso, Gilberto Gil, Torquato Neto, Os Mutantes, além de mim) e através de manifestações artísticas diversas, como as artes plásticas (destaque para a figura de Hélio Oiticica), o cinema e o teatro brasileiro, sendo um dos maiores exemplos do movimento tropicalista justamente uma das canções de Caetano Veloso, denominada exatamente de "Tropicália", não tenho como aceitar o uso comercial indevido e não autorizado do nome Tropicália, cujo objetivo único é propiciar-lhes lucro, ganho esse obtido, em parte, pela utilização de uma obra que muito fala à Bahia.

Tive acesso ao seu prospecto de venda, e não pude deixar de perceber que, diferentemente do que os senhores alegam em sua contranotificação a Caetano Veloso, o empreendimento usa de nomes de sua obra, além de Tropicália. Prédios com os nomes de Alegria e Divino, e chamadas de marketing que informam que os prédios se situam aonde "o Divino encontra com o Maravilhoso" demonstram sua clara intenção em fazer uso de uma obra artística de expressão para ganhos próprios.

Portanto, manifesto-me aqui, como membro do movimento tropicalista e artista da música brasileira, para requerer aos senhores que cessem o uso indevido dos nomes das obras artísticas que foram e são referência no cenário artístico nacional e internacional, posto que tal uso, além de não autorizado, vai contra toda a filosofia desse movimento, cujos participantes jamais autorizariam vincular sua obra a um empreendimento imobiliário desse porte.

Esperando ser atendido pelos senhores, por ser essa a única ação correta a ser tomada de sua parte, despeço-me na expectativa de não ter de ser obrigado a tomar as medidas que entenda cabíveis para esse fim.

Obrigado.
Tom Zé
RJ, 25/11/11"

Veja também:
» Depois de Caetano, Tom Zé notifica a Odebrecht contra uso de imagem da Tropicália
» Estou à disposição de Caetano no processo contra Odebrecht, diz Gilberto Gil

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol