Terra Magazine

 

Quarta, 7 de março de 2012, 16h21 Atualizada às 18h17

Gays criticam Dilma, Crô e Minotauro e entregam "Oscar" a "inimigos"

Ana Cláudia Barros


O ator Marcelo Serrado, o "Crô" de Fina Estampa, aparece na lista do Troféu "Pau de Sebo" por se declarar contra o beijo gay na TV
(Foto: TV Globo/Divulgação)

O que a presidente Dilma Rousseff, o ator Marcelo Serrado - o "Crô" da novela Fina Estampa -, o lutador de MMA Antônio Rodrigo Minotauro e a torcida do Palmeiras têm em comum? Todos aparecem na lista do Troféu "Pau de Sebo", premiação às avessas, concedida pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) às personalidades consideradas "inimigas dos homossexuais".

A entidade, pioneira na defesa dos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT), anualmente organiza o Oscar Gay (um cacófato proposital), que, em 2012, chega a sua 22ª edição. A premiação, sempre anunciada após a festa de Hollywood, contempla também pessoas e instituições que deram apoio aos direitos humanos dos LGBTs. A estes, é oferecido o Triângulo Rosa, uma referência ao distintivo usado pelos nazistas nos campos de concentração para identificar os prisioneiros homossexuais.

Entre os vencedores estão: "os Ministros do Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça pela legalização do 'casamento homoafetivo'; os governadores do Rio, de Minas Gerais e de São Paulo; o ator Marco Nanini por assumir-se gay; o jogador Edmundo e o técnico Toninho Cerezo, por declararem amor incondicional a seus filhos, respectivamente gay e transexual; o Arcebispo de Maceió e a Igreja Evangélica Luterana por apoiarem os direitos da população LGBT; os deputados federais Jean Wyllys e Romário e os treinadores Vanderley Luxemburgo e Bernardinho, por se oporem à homofobia".

Quanto ao Troféu Pau de Sebo, explica o historiador Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia, no texto oficial da premiação, a ideia é aproveitar uma tradição irreverente do folclore brasileiro para mostrar "o ridículo de ser inimigo dos LGBTs".

- Por mais que queiram espezinhar os gays e destruir o movimento de libertação homossexual, nunca chegam a seu objetivo, caindo e se lambuzando no pau de sebo da intolerância.

Em entrevista a Terra Magazine, o fundador do GGB, o antropólogo Luiz Mott, lamentou o fato de Dilma Rousseff ocupar o primeiro lugar dentre os "contemplados" com o Troféu "Pau de Sebo". Nunca antes um presidente ganhou a "honraria". "Ela foi escolhida por conta da falta de políticas públicas (para LGBTs) e por ter vetado o kit anti-homofobia (do Ministério da Educação)", justificou.


Confira a lista dos vencedores do Oscar Gay.

Troféu Triângulo Rosa aos amigos dos gays-LGBTs

1. Ministros do Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça, pelo reconhecimento das uniões estáveis homoafetivas concedendo aos casais homossexuais os mesmos direitos das uniões heterossexuais.
2. Assumidos: Por terem saído do armário e se assumirem publicamente gays: ator Marco Nanini; Goleiro Messi, do Palmeirinha de Goianinha; Michael dos Santos, do Vôlei Futuro e o casal agredido na Av.Paulista, Marcos Vila e Júlio Cesar, por assumirem na mídia sua condição homossexual e denunciarem homofobia.
3. Religião: Por declarar apoio aos direitos humanos dos homossexuais: Arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz; Presidência da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; Aliança de Batistas do Brasil; Padre Fábio de Melo, S.João da Boa Vista, SP; Padre Dr. Luiz Correia Lima, jesuíta, RJ; Frei Gilvander Moreira, Carmelita, MG; Frei Betto, dominicano, SP; Andrei Moreira, Presidente da Associação Médico-Espírita, MG; Pastor Ricardo Gondim, Viçosa, MG; Asssociação Brasileira e Ateus e Agnósticos e Liga Humanista Secular, SP.
4.Governadores: Governador do RJ, Sérgio Cabral pela promoção da campanha Rio Sem Homofobia e por garantir uso de nome social para travestis; Governador de Minas, Antônio Anastasia, por defender o kit anti-homofobia; Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, por se pronunciar contra Dia do Orgulho Hétero e defender a união homoafetiva.
5.Congresso Nacional: Deputados Federais Jean Wyllys, PSOL-RJ, por sua atuação combativa na defesa da cidadania homossexual e Romário, PSB-RJ, por declarar-se a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo; Deputada Erika Kokay , incansável defensora dos direitos LGBT.
6. Personalidades: Vanderlei Luxemburgo, ex-técnico do Flamengo; Bernardinho, técnico da Seleção Brasileira de Vôlei por declararem que preconceito é "bola fora" e por defenderem a presença de homossexuais nos esportes; Marcelo Tas, apresentador do CQC, por declarar ter orgulho de sua filha lésbica; Jogador Edmundo e técnico Toninho Cerezo, por declararem amor incondicional a seus filhos gay e transexual; Kelly Key, cantor Luciano, Paula Toller do Kid Abelha, Preta Gil, Dr. Dráuzio Varela, Zé Celso Martinez Correa, por suas declarações e artigos favoráveis à diversidade sexual; Ricardo Boechat, por seu apoio ao casamento gay; Glória Maria Pires Rebelo, pela ousadia cidadã ao declarar "casados pela autoridade divina de mãe" a seu filho Carlos Tufvesson e André Piva em cerimônia pública MAM- RJ; Jandira Pantel, BA, homenagem póstuma, por ter sido a primeira mãe de lésbica assumir a defesa da orientação sexual da filha em campanha publicitária na Parada Gay da Bahia.
7. Justiça: Desembargadora Beatriz Figueiredo Franco, do Tribunal de Justiça de Goiás, por derrubar o veto de anulação da primeira união gay do Brasil; Juiz José Saba Filho, da 73ª Vara do Trabalho do RJ, por obrigar a Sul América Cia Nacional de Seguros a indenizar um empregado por homofobia; Juíza Ana Cláudia Veloso Magalhães, Anápolis, GO, por decretar a prisão preventiva do agressor de uma transexual; Tribunal de Justiça de SP por condenar o apresentador Ratinho e a emissora SBT em multa de 150 mil reais pela ofensa homofóbica ao pastor gay Victor Ricardo Soto Orellana; ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva de Vôlei, por aplicar multa 50 mil reais, contra o Sada/Cruzeiro pelos insultos homofóbicos proferidos por sua torcida no Vôlei Futuro; Ministério Público de SP, por acatar representação da ABGLT contra o pastor Silas Malafaia pela oposição à igualdade de direitos e cidadania dos homossexuais: Juiz de Direito Maurício Alves Duarte, da 11ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Porto Alegre, RS; Desembargadora Beatriz Figueiredo Franco, do Tribunal de Justiça de Goiás.
8. Câmaras e Assembleias: Assembleias Legislativas de São Paulo e do Pará; Prefeito de Nova Friburgo, RJ, Dermeval Moreira Neto e Câmaras Municipais de Barra Mansa e Cabo Frio, RJ, pela aprovação da leis que proíbem a discriminação contra LGBTs; Empresa de Energia Elétrica do Paraná, pelo reconhecimento de casais homossexuais, em união estável, para fins de plano de saúde e previdência.
9. Academia: Universidade de São Paulo criação do programa USP Diversidade de combate ao preconceito e à discriminação; Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, pela expulsão de aluno que divulgou e-mail pregando ódio homofóbico; Centro Acadêmico XI de Agosto da USP, pelo apoio ao Casamento Coletivo de doze casais lesbigays no salão nobre da Faculdade de Direito; Ophir Cavalcante, presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, pela criação, no âmbito do Conselho Federal da OAB, da Comissão da Diversidade Sexual.
10. TVs e Revistas: SBT pelo primeiro beijo lésbico na televisão e TV Futura, MTV, GNT, Globo, Editora Trip, por excelentes matérias dedicados à homossexualidade.


Troféu Pau de Sebo aos inimigos dos gays-LGBT

1. Presidenta Dilma, pelo veto ao Kit anti-homofobia Escolar, deixando de capacitar mais de 6 milhões de estudantes em defesa da cidadania LGBT e contra o bullying homofóbico
2. Alexandre Padilha, do Ministério da Saúde, pelo veto ao filme de prevenção da Aids para gays no carnaval
3. Religião: Bispo D. Luiz Gonzaga Bergonzinie, Guarulhos-SP, por opor-se ao kit anti-homofobia e contra o PL 122, que criminaliza a homofobia; Padre Antônio Caiciliotti, Londrina-PR, por defender que a homossexualidade é um desvio e anormalidade da natureza; Psicóloga batista Marisa Lobo, PR, por defender a "cura" de homossexuais.
4. Parlamentares: por declarações homofóbicas, projetos ou vetos contra a cidadania LGBT: Senadores Marcelo Crivella, PRB-RJ; Magno Malta, PR-ES; Deputados Federais: João Campos PSDB-GO; Ronaldo Fonseca, PR-DF; Marco Feliciano, PSC-SP; Anthony Garotinho, PR-RJ; André Zacarov, PMDB-PR; Lauriete, PSC-ES; Acelino Popó, PRB-BA; Salvador Zimbaldi, PDT-SP; Áureo Moreira Ribeiro, PRTB-RJ; Deputados Estaduais: Zequinha Marinho, PSC-PA; Ronaldo Fonseca, PR-DF; Vanderlei Miranda "PMDB/MG); João Leite "PSDB/MG); Myrian Rios, PDT-RJ; Washington Reis, PMDB-RJ; Marcelo Aguiar, PSC-SP; Vereadores: Carlos Bolsonaro Filho, PP-RJ; Cristóvão Gonçalves, PSDB-S.José dos Campos, SP; Carlos Apolinário, DEM-SP; Jadson do Bonsucesso Rodrigues, PDT-Caeté, MG; Educarlos Lourenço, Porto Murtinho/MS
5. Câmaras Municipais: Teixeira de Freitas, Ba; S. José dos Campos, SP; S.Pedro da Aldeia, RJ; Niterói, RJ; Prefeito José Renato, PMDB-Barra Mansa, RJ, pela aprovação de leis, vetos ou moções homofóbicas contrárias à cidadania LGBT; Partido Social Cristão por propaganda eleitoral discriminatória à população LGBT, contrária à decisão do STF sobre a união gay e contra o kit-anti-homofobia.
6. Justiça: pela oposição à igualdade de direitos e cidadania dos homossexuais: Juiz de Direito Maurício Alves Duarte, da 11ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Porto Alegre, RS; Juiz e Pastor da Assembléia de Deus Jerônimo Vilas Boas, corregedor de Goiânia por ter anulado, em vão, a primeira união gay do Brasil.
7. Personalidades: Marcelo Serrado ("Crô" na novela Fina Estampa) e travesti Rogéria, por se declararem contra o beijo gay na televisão; lutador Antônio Rodrigo Minotauro, por afirmar que não treinaria um aluno gay; Chanceler da Universidade Mackenzie, SP, Augustus Nicodemus Lopes por declarar-se contrário à lei contra homofobia e defender que "ensinar e pregar contra a prática do homossexualismo não é homofobia"; Psicanalista Flávio Gikovate, por divulgar teses homofóbicas e machistas, defendendo terapias de reversão da homossexualidade; Jeferson Thiago, presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Regional de Blumenau, SC, por estimular práticas homofóbicas.
8. Cartórios de João Pessoa, pela recusa de oficializar a união estável entre pessoas do mesmo sexo.
9. Torcida do Palmeiras por exibir no estádio a faixa "Homofobia veste verde"
10.Gafieira Estudantina, RJ, por proibir dançar mulher com mulher.

Veja também:
» Oscar Gay premia Bolsonaro, Datena e torcida do São Paulo
» Siga Bob Fernandes no twitter

 

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol