Terra Magazine

 

Sexta, 28 de abril de 2006, 07h33

Porque Lugano não troca camisa após o jogo

Luciano Borges

O zagueiro uruguaio Diego Lugano, de 25 anos, é um caso raro no futebol brasileiro. Ele se recusa a trocar camisa com jogadores adversários e nunca deixa o campo de jogo sem estar vestindo o uniforme do São Paulo.

» "Não tiro em respeito ao torcedor", diz Lugano

Foi o que ele fez na última quarta-feira, depois do empate em um gol com o Palmeiras. Lugano foi procurado pelo lateral Márcio Careca e, educadamente, explicou que não poderia fazer a troca. "Só aceito se for um jogador muito amigo e ainda assim mando a camisa no dia seguinte. Nunca no estádio", diz.

Ele foi para a sala da coleta do exame anti-dopagem uniformizado. Como demorou duas horas e 23 minutos para urinar, só tirou a camiseta porque tomou banho neste ínterim. Aliás, o central Tricolor é o terror do pessoal da Comissão Anti-Doping. "Ele leva até três horas para coletar o material".

Para se ter uma idéia, nessa última passagem na sala de coleta do Parque Antártica, ele consumiu oito latas de refrigerantes e quatro garrafas d'água. Mesmo assim, quando foi entrevistado sobre a troca de camisas, fez questão de abrir a mochila, pegar o uniforme suado e vesti-lo para a gravação.

Lugano justifica de duas maneiras esta atitude. A primeira é respeito ao torcedor. "Desde que eu era menino, achava feio um ídolo do Nacional, para quem eu torcia, deixar o campo depois de um jogo contra o Peñarol com a camisa deles nas costas".

Diego diz que na cidade de Canelones, onde nasceu, metade da população é torcedora do Nacional e a outra metade gosta do Peñarol. "Eu sei o sacrifício que o torcedor faz e o amor que ele tem pelo clube e sua camisa. Não gostaria de decepcioná-lo".

A outra razão é mais pragmática. Cada camisa guardada vai parar nas mãos de um amigo de Canelones, hoje a cidade uruguaia com o maior número de são-paulinos de que se tem notícia.

Por isso, a coleção de camisas de Lugano é modesta. "Tenho poucas", diz. Mas duas são especiais, "além das do São Paulo". Uma é da seleção do Uruguai. E outra é a número 13 do Brasil. Lugano trocou o uniforme no jogo entre uruguaios e brasileiros, pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

"O jogo acabou e eu estava saindo quando 'seo' Zagallo veio correndo com a camisa na mão e me pediu para trocar. Poxa, era o Zagallo!", justificou.


Exibir mapa ampliado

O que Luciano Borges vê na Web

Terra Magazine América Latina, Veja a edição em espanhol