foto: Inovafoto

Demian Maia decepcionou a torcida presente à arena armada no Ginásio José Corrêa, em Barueri, São Paulo, onde o lutador paulista fez a luta principal do UFC Fight Night 29 contra o americano Jake Shields. Após cinco rounds parelhos, os árbitros laterais apontaram a vitória do americano por decisão, que segundo o brasileiro, foi decidida no último assalto, apesar de não ter concordado.

“A luta foi decidida no quinto round. Acho que eu ganhei o round. Defendi as quedas, acredito que fui mais incisivo de pé. Não dá para entender os juízes. Minha estratégia foi defender as quedas na última parte e tentar defender em pé. No primeiro round, cheguei em uma posição mais perigosa e poderia ser dado para qualquer um. O segundo ele ganhou. O terceiro [round] acho que ganhei, assim como quarto e quinto. Queria defender as quedas e pontuar em pé no quinto”, disse.

Apesar da experiência no octógono e sobretudo nas competições de luta agarrada, Demian admitiu ter perdido posições e revelou ansiedade ao longo da disputa. “Perdi algumas posições que não costumo perder. Não sei se por estar lutando em casa, estar ansioso. No terceiro round, fui para as costas dele, ele deu o giro e fiquei embaixo. Aí, ele segurou a luta por cima. Acho que isso foi crucial. Assim como no primeiro round. Essas duas pegadas de costas que não costumo perder acho que me custaram a luta”, analisou.

A frustração do faixa preta se justifica pela proximidade dos números dele e de Jake. Demian conectou vinte e quatro golpes contra vinte e cinco do adversário, mas percentualmente, teve maior efetividade. No total de ataques, venceu por 98 a 97 e aplicou três quedas contra uma de Shields. O critério decisivo na opinião de críticos foi o volume de luta, o que não necessariamente demonstra superioridade no combate e termos numéricos.

A derrota em Barueri foi a primeira de Demian na categoria meio médio. O atleta havia derrotado três oponentes importantes do peso e tinha a expectativa de se consolidar como o próximo desafiante ao título até 77kg se tivesse vencido ontem. Jake, por sua vez, embalou na divisão com três vitórias nas últimas quatro lutas e deverá vencer pelo menos mais uma vez para ter nova chance na disputa do cinturão que estará em jogo em novembro no confronto entre o campeão Georges St. Pierre e Johny Hendricks no UFC 167.

Outras lutas

O evento contou com bons combates. Erick Silva esteve próximo da vitória contra Dong Hyun Kim mas um contra-golpe do sul-coreano apagou o atleta da X-Gym no segundo round. Fabio Maldonado e Thiago Silva venceram suas lutas mas não empolgaram. Já Rousimar Palhares estreou com uma finalização relâmpago, mas não levou o bônus da noite por não ter lutado com fair play. Raphael Assunção foi o maior vencedor brasileiro da noite. Após ter sofrido no round inicial, ele partiu para cima de TJ Dilashaw e arrancou a vitória por decisão dividida.

Confira os resultados completos [TATAME]:

Jake Shields derrotou Demian Maia por decisão dividida dos jurados

Dong Hyun Kim derrotou Erick Silva por nocaute técnico no 2R

Thiago Silva derrotou Matt Hamill por decisão unânime dos jurados

Fábio Maldonado derrotou Joey Beltran por decisão dividida dos jurados

Rousimar Toquinho finalizou Mike Pierce com uma chave de calcanhar no 1R

Raphael Assunção derrotou TJ Dillashaw por decisão dividida dos jurados

Igor Araújo derrotou Ildemar Marajó por decisão unânime dos jurados

Yan Cabral derrotou David Mitchell por decisão unânime dos jurados

Chris Cariaso derrotou Iliarde Santos por nocaute técnico no 2R

Alan Nuguette derrotou Garett Whiteley por nocaute técnico no 1R

Siga o blog Mano a Mano no twitter@EduardoCruzMMA